Revista Sul-americana de Engenharia Estrutural http://www.seer.upf.br/index.php/rsaee <p>A Revista Sul-Americana de Engenharia Estrutural é uma publicação quadrimestral da Associação Sul-Americana de Engenharia Estrutural, cujo objetivo é a divulgação de artigos inéditos de pesquisa e desenvolvimento que representem contribuição efetiva para a área do conhecimento, bem como de temas de interesse do engenheiro estrutural, desenvolvidos em especial na Ibero-América.&lt;br&gt;&lt;br&gt;</p> <p>A revista é de acesso aberto ( open Journal) e não cobra taxas de publicação ou edição.</p> pt-BR <a rel="license" href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/"><img alt="Licença Creative Commons" style="border-width:0" src="https://i.creativecommons.org/l/by-nc-nd/4.0/88x31.png" /></a><br />Todos os artigos estão licenciados com a licença <a rel="license" href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/">Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional</a>. zacarias@upf.br (Zacarias M. Chamberlain) zacarias@upf.br (zacarias Chamberlain) Ter, 13 Out 2020 17:48:20 -0300 OJS 3.1.1.2 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 ANÁLISE DE VIBRAÇÕES DE PASSARELA DE PEDESTRES DEVIDO À MOVIMENTAÇÃO HUMANA http://www.seer.upf.br/index.php/rsaee/article/view/10028 <p class="Resumo">A otimização de projetos estruturas de passarelas de pedestres leva a utilização de estruturas esbeltas e flexíveis, reduzindo a rigidez e massa da estrutura. Isto acaba resultando em estruturas com baixas frequências naturais, que são mais sensíveis a carregamentos dinâmicos. Estudos dinâmicos comprovam o atendimento ou não a critérios do estado limite de serviço relativos à vibração, e não são contemplados em uma análise estática simplificada. Ações humanas comuns como caminhar, correr e pular são carregamentos aos quais uma passarela estará sujeita durante sua vida útil e devem ser considerados na etapa de projeto. O presente trabalho visa estudar o comportamento teórico de uma passarela de pedestres metálica existente no munícipio de Itajubá-MG, sujeita a carregamentos dinâmicos que representem a movimentação de pedestres avaliando a sua performance em relação a níveis de conforto e serviço de acordo com normas brasileiras e internacionais. A passarela foi modelada no software SAP2000® e foram desenvolvidos estudos estáticos e estudos dinâmicos de vibração livre e forçada. Por meio das análises estáticas foram obtidos valores de deformação e carregamento para efeito de comparação. O estudo de vibração livre permitiu determinar o comportamento natural da passarela e suas frequências naturais. Ao submeter o carregamento dinâmico de pedestres foi obtida uma resposta em termos de vibração da passarela. Os resultados obtidos permitiram verificar que a passarela atende aos critérios de serviço propostos devido a sua elevada rigidez, oriunda de perfis robustos e estrutura treliçada. O conforto dos usuários é atendido nas situações comuns de uso e é satisfatório mesmo para caso de vandalismo.</p> Paulo Cesar GONÇALVES, Eduardo Costa GRANATO, Valquíria Claret Santos, Adinele Gomes GUIMARÃES ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.seer.upf.br/index.php/rsaee/article/view/10028 Ter, 13 Out 2020 17:47:35 -0300 Análise Experimental da Utilização de Concreto Ensacado como Reforço em Perfis Tubulares de Aço http://www.seer.upf.br/index.php/rsaee/article/view/9488 <p>Este trabalho avalia pilares mistos constituídos por concreto ensacado e perfis tubulares de aço, de modo a verificar experimentalmente a resistência e o comportamento de protótipos. Para isso foram ensaiados 12 pilares curtos, sendo três não preenchidos e 9 preenchidos por concreto ensacado, com e sem conectores. Os perfis mistos passaram por ensaio de compressão para avaliar a respectiva resistência, sendo a carga aplicada apenas no aço para todos os corpos de prova. Foi observado que os conectores aumentaram a resistência dos protótipos. A comparação entre resultados experimentais e prescrições normativas indicaram que a inclusão dos conectores aumentou a aderência, o que justifica o ganho de resistência do protótipo de reforço.</p> Matheus Souza Silva, Flávio Teixeira de Souza, Arlene Maria Cunha Sarmanho ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://www.seer.upf.br/index.php/rsaee/article/view/9488 Ter, 13 Out 2020 23:08:26 -0300