A China na cadeia têxtil – vestuário: impactos após a abertura do comércio brasileiro ao mercado mundial e do final dos Acordos Multifibras (AMV) e Têxtil Vestuário (ATV)

  • Achyles Barcelos da Costa
  • Nelton Carlos Conte
  • Valquiria Carbonera Conte

Resumo

Setores intensivos em mão de obra no Brasil, como os de calçados, de móveis e de confecções, passam por fortes pressões concorrenciais, em consequência da presença, em seus mercados de atuação, de competidores asiáticos com ambiente produtivo mais favorável à competitividade. Este estudo teve por objetivo investigar a participação da China no mercado têxtil-vestuário mundial e nas relações comerciais com Brasil no período de 1990 a 2009, movida pelo final dos acordos comerciais AMF e ATV. A base informacional do estudo é composta de dados provenientes de instituições nacionais e internacionais. O que se observa é que a presença da China no mercado internacional têxtil-vestuário aumentou, colocando esse país como o principal exportador mundial. Com relação ao mercado brasileiro, ficou demonstrado que, na indústria têxtil e do vestuário, os principais impactos foram a redução de mão de obra empregada e o aumento das importações. Palavras-chave: Cadeia têxtil-vestuário. Mercado chinês. Estratégia competitiva. Acordos comerciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Achyles Barcelos da Costa
Economista. Doutor em Economia. Professor convidado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Nelton Carlos Conte
Contador. Mestre em Desenvolvimento Regional pela Unisc. Professor da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis da UPF.
Valquiria Carbonera Conte
Administradora. Mestra em Administração pela Unisinos.
Como Citar
Costa, A., Conte, N., & Conte, V. (1). A China na cadeia têxtil – vestuário: impactos após a abertura do comércio brasileiro ao mercado mundial e do final dos Acordos Multifibras (AMV) e Têxtil Vestuário (ATV). Revista Teoria E Evidência Econômica, 19(40). https://doi.org/10.5335/rtee.v0i40.3442