As estratégias de diversificação dos meios de vida e a formação da renda: uma análise empírica sobre os estabelecimentos agrícolas familiares cooperados da Cresol Prudentópolis

  • Simão Ternoski
  • Miguel Ângelo Perondi

Resumo

As estratégias de renda pautadas na diversificação dos meios de vida estão associadas à formação da renda dos estabelecimentos. Assim, a teoria que norteia este estudo aborda as diferentes estratégias da vida no meio rural, principalmente em relação ao tema da pluriatividade. Como hipótese admite-se que o agricultor com fonte de renda mais diversificada apresenta uma menor vulnerabilidade e uma maior renda total e agrícola. A metodologia consiste na pesquisa explicativa, de caráter quantitativo, a partir do emprego de técnicas de amostragem e de métodos estatísticos (teste t e regressão). Como resultado, identificou-se que: (1) a diversificação dos meios de vida, expressa na pluriatividade, permite aos estabelecimentos, de acordo com o teste t, níveis de renda mais elevados; (2) a variável binária, preditora, por meio do modelo de regressão simples, apresentou explicação da variável dependente renda agrícola, mas não explica a variável dependente renda total. Conclui-se que a pluriatividade está ligada a níveis mais elevados de renda, mas sem explicar a formação da renda total. Palavras-chave: Pluriativos. Agricultura familiar. Tipificação. Diversificação da renda. Monoativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-12-18
Como Citar
Ternoski, S., & Perondi, M. (2014). As estratégias de diversificação dos meios de vida e a formação da renda: uma análise empírica sobre os estabelecimentos agrícolas familiares cooperados da Cresol Prudentópolis. Revista Teoria E Evidência Econômica, 20(43). https://doi.org/10.5335/rtee.v20i43.4594