LEVANTAMENTO DA CADEIA PRODUTIVA DO PESCADO DO RESERVATÓRIO DE ITAIPU

  • Regina Veiga Martin
  • Ricardo S. Martins

Resumo

A construção da maior usina hidrelétrica do mundo, a Itaipu Binacional, no rio Paraná, na fronteira entre Brasil e Paraguai, implicou a criação de um reservatório de 1 350 km2, que inundou aproximadamente 900 km2 de terras do lado brasileiro. A pesca comercial foi estimulada com a possibilidade de escoamento da produção criada pela abertura de novas estradas e pelo ingresso na região de intermediários da comercialização que levavam o pescado para outras cidades do Paraná e também para outros estados. A atividade é monitorada pela Itaipu Binacional e reflete a preocupação da empresa pelo fato de a atividade pesqueira não ter conseguido consolidar-se economicamente, pois os pescadores são pouco especializados e, como reflexo, o produto pescado tem pouca difusão nos mercados. Através de pesquisa de campo tendo por base a análise de cadeia produtiva, este estudo abordou pescadores, intermediários na venda do peixe e consumidores para diagnosticar os pontos de estrangulamento que criam obstáculos ao desenvolvimento da atividade. Dentre eles, podem ser destacadas as condições da pesca (material, barcos e propulsão), condições para manutenção do pescado, condições da comercialização, baixo nível de organização dos pescadores, os quais se refletem na pequena difusão do produto no mercado, segmento este que tem no consumidor um agente com restrições ao consumo do peixe, pelo preço relativamente alto e pelas condições de preparo mais exigentes, embora reconheça as qualidades do produto. Palavras-chave: economia da pesca, cadeia produtiva, economia paranaense.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Martin, R., & Martins, R. (1). LEVANTAMENTO DA CADEIA PRODUTIVA DO PESCADO DO RESERVATÓRIO DE ITAIPU. Revista Teoria E Evidência Econômica, 7(13). https://doi.org/10.5335/rtee.v7i13.4804