Evolução da agropecuária em São Paulo e Mato Grosso de 1995 a 2006

  • Samuel Alex Coelho Campos
  • Carlos José Caetano Bacha

Resumo

Este trabalho utiliza alguns conceitos da nova geografia econômica para avaliar as restrições e vantagens que variáveis de primeira e segunda natureza trazem para estimular e/ou restringir a produção agropecuária nos estados de São Paulo e Mato Grosso. Concluise que, apesar de algumas variáveis de segunda natureza (como a legislação florestal) serem potencialmente mais restritivas à agropecuária no Mato Grosso e outras estarem em menor oferta naquele estado, como serviços bancários, de ensino e pesquisa, houve melhora expressiva dessas últimas perspectivas. Isto, juntamente com a grande disponibilidade de terras no estado (com boa topografia e variado clima) mais do que compensou a sua baixa fertilidade. Isto explica alguns indicadores de produtividade parcial mostrarem melhora da agropecuária em Mato Grosso acima dos apresentados em São Paulo entre os anos de 1995 e 2006. Não obstante, não se pode afirmar que a eficiência técnica da agropecuária no Mato Grosso é maior do que em São Paulo, pois nem todas as variáveis consideradas no cálculo dessa eficiência foram analisadas no artigo. Palavras-chaves: Agropecuária. Mato Grosso. São Paulo. Evolução.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-03-09
Como Citar
Campos, S. A. C., & Bacha, C. J. C. (2016). Evolução da agropecuária em São Paulo e Mato Grosso de 1995 a 2006. Revista Teoria E Evidência Econômica, 22(46). https://doi.org/10.5335/rtee.v22i46.6751